segunda-feira, janeiro 19, 2009

Maria

Maria, tua pele exala o suor
Tua pele molhada
Tua flor molhada
Maria, tua rosa é maior que as marés desses mares
Teu odor, olor, teu corpo rasgando
Tua sensatez transformada em fera
Teu som penetrando as entranhas
Tuas unhas caçando a carne
Maria, tua boca mordendo a libido
Teu rugido ecoa nos cantos, no teto
O desejo consome o âmago
Teu âmago dá fome ao beijo
Teu sangue, Maria, a sede
Tua brutalidade serena
Tua capacidade de olhar
De enxergar o vazio e me fazer completo
Completamente sem nada dizer
Tua fúria insinua prazer
Tua luxúria é nuance
Nua
Crua
Sua
Maria
A lua cálida incendeia o pecado
Teus lábios sábios
Teus sábios lábios
A penumbra
Tua feição de santa me expõe
Maria
Cala-me, não
O chão comporta tanto pudor esquecido
As paredes também
A janela aberta e a brisa, em vão
Um sopro no inferno
Maria, tua voz, nem sei
Tua nuca
Me escuta Maria!
És deusa
Uma puta divina
Divina puta
Nossa luta é sincera
Quem me dera poder te amar
O amor é mentira Maria
Me tira daqui Maria!
Eu quero apenas teu olhar me consolando e o carinho do desprezo
Aquele olhar sem medo, aquele amor canalha
Os falsos risos
A eterna batalha
Teu poder de estuprar meus sentimentos
Se eu minto, Maria, é pra não dizer que te amo
Se eu te amasse ia querer mais
Não posso querer mais
Não há mais
Só há a sensação de paz
Me basta essa guerra
Tu és o mal, o bem
Tu és cruel, um mel no fogo
Tu és a própria chama
Maria, tua rosa é maior que as marés desses mares

2 Comments:

Blogger Grazi said...

Me faz lembrar um passado nao tao distante... :)

8:26 PM  
Anonymous Anônimo said...

Eu nunca deixei de te amar!

11:28 PM  

Postar um comentário

<< Home